sábado, 15 de setembro de 2012

A Influência da Imagem no Marketing Pessoal

A primeira impressão sempre teve um impacto muito grande nas pessoas, e isso é inevitável. É uma tendência natural avaliarmos qualquer nova situação com base na força da imagem, portanto, é verdade que “uma imagem vale mais do que mil palavras”.

Há mais de 2500 anos atrás, o filósofo Platão nos mostrou em sua alegoria da caverna que a nossa visão dos fatos está muito ligada à aparência das coisas. 

Julgamos aquilo que vemos, e é tudo muito rápido. A expressão no rosto, a roupa, a higiene pessoal, os gestos. É uma combinação de estímulos visuais que faz com que em poucos segundos façamos julgamentos sobre a posição social e até sobre o caráter de uma pessoa.

Segundo estudos na área de comportamento humano, a primeira impressão que uma pessoa tem da outra se baseia 55% em sua aparência e ações, 38% em seu tom de voz e 7% na propriedade intelectual, ou seja, no que é falado. Isso demonstra que os seres humanos são extremamente visuais e julgam uns aos outros previamente pela aparência.

O mais surpreendente é que este julgamento é feito aproximadamente nos primeiros 10 segundos de convivência, ou seja, quando conhecemos alguém, antes mesmo de abrirmos a boca para nos apresentar, já estamos sendo avaliados quanto à classe social, situação financeira, estilo de vida, personalidade, histórico e nível de sucesso. 

Mas as aparências, elas enganam. 

Esta avaliação de imagem que fazemos ou recebemos de alguém pode ser positiva ou negativa, e pode ou não refletir o que somos e a mensagem que queremos passar. 

Exemplos não faltam para demonstrar que os arquétipos físicos são ponto de partida para interpretações de valor.

E aí, entra a questão do bom senso: se você comparecer a uma entrevista formal de emprego vestido de regata e chinelo, não precisará nem se identificar na recepção, pois provavelmente o seu perfil já será rejeitado pela secretária da agência que não possui aptidão suficiente para recrutar e selecionar funcionários, mas conhece a reputação da empresa e sabe que você não irá conseguir o emprego.

Quando você está andando pela rua e vê uma pessoa qualquer, você imediatamente terá formado e também recebido um feedback sobre características como a beleza, classe social, nível de renda, estilo de vida, entre outras. Mas esses feedbacks podem estar errados, como acontece na maioria das vezes. 

Marketing Pessoal


O Marketing Pessoal pode ser definido como um conjunto de ações estratégicas, atitudes e comportamentos que conduzem a trajetória pessoal e profissional para um feliz sucesso por meio de qualidades e habilidades inatas ou adquiridas do indivíduo que, aperfeiçoadas, promoverão comportamentos favoráveis à realização dos seus próprios objetivos. 

Max Gehringer cita 10 “mandamentos” do Marketing Pessoal. Esses mandamentos estão em forma de atributos individuais, que são: 

1º-Liderança 
2º-Confiança 
3º-Visão 
4º-Espírito de Equipe 
5º-Maturidade 
6º-Integridade 
7º-Visibilidade 
8º-Empatia 
9º-Otimismo 
10º-Paciência 

É bastante difícil conciliar todos esses atributos, diria impossível. Mas se bem trabalhados, essas características podem gerar uma enorme vantagem competitiva: seja em casa, no trabalho, no colégio ou na faculdade. 

Outro exemplo bem claro da mudança de significados de uma imagem é a do presidente norte-americano Barack Obama, o primeiro negro a ocupar tal cargo, e também sua esposa, Michelle Obama, hoje referência na área da moda. Veja uma foto deles 2 meses antes das eleições que elegeram Obama à presidência em 2008:




Com esta imagem, Obama não inspira a ideia de um político capaz de governar uma nação.

Devemos lembrar: diferente do Brasil, onde o voto é obrigatório e as pessoas votam no Tiririca, no Romário ou no Kiko do KLB; nos EUA o voto é facultativo, ou seja, as pessoas votam se quiserem. 

Obama certamente sabia do poder do marketing pessoal e utilizou-se disso de diversas formas. E o homem que vimos na campanha, depois, como presidente dos Estados Unidos é este:





E Michelle, atualmente:




Não foram só as roupas que mudaram. A atitude mudou. Vejam a postura e o olhar de ambos na primeira imagem e a postura e olhar deles nas fotos posteriores. Mudou! A combinação bombástica da mudança nas roupas, nos cabelos, na maquiagem e na postura, aliado á imagem de carisma e presença, foi um dos fatores que levou Obama à vitória. 

Deve existir coerência entre imagem e conteúdo para que haja consistência em seus julgamentos de aparência.

Imagem vai muito além do seu rosto e das suas roupas.

2 comentários:

  1. Du, muito interessante a linha na qual voce utilizou, usando um paralelo entre a sua opniao e as informacoes... parabens, muito bom seu ponto de vista, mas apenas nao concordo com o seu voto ao Tiririca em forma de protesto... Seu protesto resultou na eleicao do mesmo... Elege o Tiririca, o palhaco e voce! abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que o Tiririca faça parte do circo no Congresso. E falando em palhaço, o Tiririca realmente atuou em circos a vida toda e já disse que é pra um circo no Nordeste que pretende volta quando sai do Governo, inclusive o mais rápido possível. Prefiro que ele aja como um palhaço tanto no Congresso quanto na profissão de vida dele, do que esconder essas palhaçadas de pessoas que não votam nele por causa disso e se esquecem onde ta a verdadeira ironia. E essa ironia ele já percebe todos dos dias naquela fazenda de Congresso Re : )

      Excluir