segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Ansioso

Faltava pouco, faltava tão pouco pra hora chegar!!
Mas pro ansioso esse tempo não vinha, parecia uma infinidade, um pesar 

O ansioso já não vê a hora
O ansioso aguarda, ele anseia pela chegada do controle que anestesia a ansiedade
Essa espera é uma constante, o incomoda de verdade

Agora falta bem pouco pra hora chegar
Falta tão pouco, e a cabeça do ansioso parece que vai explodir, se desintegrar 

A ansiedade aciona o pino da granada 
Na mente ansiosa, uma explosão está para ser acionada 

Boom!

Aquela ansiedade de louco, torturante e resistente
Gostoso mesmo é quando a hora chega e a satisfação se faz sentir, finalmente

Vem uma calma, e ela acostuma na mente
Mas pro ansioso, essa tranquilidade não rende

O ansioso não gosta de esperar
Ele odeia aquele inesperado que incomoda 

O ansioso fica tentando prever o imprevisível, o amanhã tão distante
Ele fica tentando ter um conhecimento de um futuro ignorante



Inúmeras precipitações causadoras de preocupações que residem em mentes inquietas
Ansioso tenta esperar por um ideal de perfeição que não existe, é ilusão

Pro ansioso, existe apenas a espera que torna o futuro menos claro e mais distante
Bem distante, lá longe até onde o ansioso deseja ver, mas não consegue enxergar

Ás vezes, o tempo para o ansioso parece uma eternidade de preocupações e expectativas 
Ás vezes, existe o desejo de prever o amanhã, um futuro que confunde as perspectivas

Ás vezes, é melhor não desejar que o amanhã se torne realidade
Melhor não esperar tanto das coisas, isso alivia a ansiedade 

Pro ansioso, uma dose de pessimismo e outra de desapego pode ser saudável, conveniente 

Uma dose que seja:

1/2 dose de pessimismo com o efeito colateral da crua realidade
1/2 dose de desapego com o efeito de transformar desejo em saciedade

Ás vezes é melhor se preparar para o pior
Muitas vezes é melhor não esperar tanto das coisas

Ansioso, isso alivia a ansiedade

Um comentário: