segunda-feira, 29 de abril de 2013

A Representação do Mundo nos Mitos

Antigamente, era comum as pessoas usarem mitos pra explicar fenômenos do mundo, desde a mudança das estações até o movimento das marés ou a cronologia do tempo.

Para essas pessoas, os mitos representavam a melhor explicação possível para as intervenções das forças do universo em suas vidas. Histórias eram contadas para explicar fatos e eventos cotidianos causados pelas forças da natureza, sobre o equilíbrio entre o bem e o mal e sobre como as pessoas deveriam pensar. 

Enfim, mitos eram bem úteis porque explicavam fatos e fenômenos do mundo, e então serviam como um guia rápido e prático de como se entender e agir em várias situações da vida.

Um exemplo: na mitologia nórdica, imaginava-se que o mundo todo era sustentado por uma árvore, chamada Yggdrasil. 

Ao redor de Yggdrasil e por toda ela haviam vários reinos. Um deles era Midgard, que significa "o reino que está no meio". Midgard era um lugar muito bem protegido, mas constantemente ameaçado por perigos externos. Mais pra cima ficava Asgard, a morada dos deuses, que reinava na copa da árvore. 

Uma das ameaças externas de Asgard estava em Jotunheim, um reino distante e habitado por trolls inimigos que não se cansavam de tentar destruir o mundo com todo tipo de estratégias e ataques traiçoeiros. Na mitologia nórdica, esses inimigos de Jotunheim eram chamados de "forças do caos". 

E no meio desse contexto, em Asgard, havia um personagem em foco: Thor. 

Seu martelo não trazia apenas devastação e tempestades, mas era também uma arma na luta contra as perigosas "forças do caos". O martelo emprestava a Thor um poder fenomenal, quase infinito. 

Ele podia atirar o martelo nos inimigos e matá-los, e sem ter medo de perdê-lo, pois o martelo era como uma espécie de bumerangue e voltava para seu dono após ser arremessado. 

Essa história de Thor e os deuses na batalha de Asgard contra Jotunheim, por exemplo, era uma explicação mitológica para o fato de existir sempre uma luta entre o bem e o mal. 

A seguir, o resumo do mais famoso mito nórdico de Thor. Se você já assistiu ao filme, então já tem uma boa noção do contexto dessa história:


O Mito de Trymskveda

O mito mais conhecido da mitologia nórdica é narrado no poema Trymskveda

Ele conta que Thor adormeceu e, quando acordou, seu poderoso martelo tinha desaparecido. Thor ficou tão furioso que suas mãos tremeram, e sua barba estremeceu. 

Acompanhado de seu irmão Loki, Thor foi até Freya (a deusa da fertilidade) para pedir suas asas emprestadas. Com elas, seria possível viajar até Jotunheim para descobrir se foram os trolls que roubaram o martelo que pertencia ao reino de Asgard. 

Loki foi o encarregado de ir a Jotunheim e, chegando lá, encontrou Trym, o rei dos trolls, que assumiu o roubo do martelo e ainda se gabou por tê-lo enterrado 5 quilômetros debaixo da terra. E pra completar, Trym disse que os deuses de Asgard só teriam o martelo de volta se Freya se casasse com ele.

Os deuses do bem estavam diante de um drama jamais visto: um drama envolvendo um refém. Os trolls tinham em seu poder o martelo, a arma de defesa mais importante de Asgard. E esta situação era totalmente inaceitável. Enquanto os trolls estivessem com o martelo, seu poder sobre o mundo dos homens e dos deuses seria permanente. 

Para devolver o martelo, os trolls exigiam Freya. Mas esta troca não era possível. Se os deuses entregassem a deusa da fertilidade, que protege todas as formas de vida, então o verde desapareceria dos pastos, e homens e deuses acabariam morrendo. Portanto, não havia como negociar ante essa situação.

Loki desiste e resolve voltar para Asgard para pedir à Freya que se vista de noiva, pois infelizmente ela terá de se casar com Trym. Freya fica furiosa e diz que, se ela se casar com um troll, as pessoas vão pensar que ela é louca.

E então o guardião Heimdall tem uma ideia. Ele sugere que Thor se fantasie de noiva, pra se fazer passar por Freya.

Prendendo os cabelos e amarrando duas pedras no lugar dos seios, Thor ficaria parecido com uma mulher, já que tinha cabelo loiro e bem comprido. É claro que Thor não fica muito entusiasmado com essa ideia, mas acaba reconhecendo que só assim os deuses teriam a chance de recuperar o martelo. No fim, ele é fantasiado de noiva e Loki o acompanha até Jotunheim como dama de honra. Fantasiados de mulher, os dois se infiltram na fortaleza dos trolls para reaver o martelo de Thor.

Logo que eles chegam a Jotunheim, os trolls iniciam todos os preparativos para o casamento. Na festa, porém, a noiva Freya (isto é, Thor vestido de Freya), come um boi inteiro, 8 salmões e bebe 3 barris de cerveja. 

Trym fica admirado com o que vê, e por um triz o disfarce não é descoberto. Mas Loki consegue salvá-los desse perigo. Ele conta que Freya não comia havia 7 dias, tão ansiosa ela estava para chegar a Jotunheim.

Quando Trym ergue o véu da noiva para beijá-la, ele recua ao se deparar com o olhar severo de Thor. Mas também desta vez Loki consegue contornar a situação. Ele conta que a noiva não dormia havia 9 noites, de tão excitada que estava com o casamento. Então Trym, desejando o máximo bem estar de sua futura esposa, ordena que tragam o martelo e que ele seja colocado no colo da noiva durante a cerimônia de casamento.

Quando Thor viu o martelo no seu colo, ele deu uma boa risada. Primeiro ele matou Trym, e depois todos os outros trolls de Jotunheim. E, assim, o terrível drama envolvendo um refém teve um final feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário